segunda-feira, 29 de agosto de 2005

UM ARTIGO QUE GOSTEI DE LER

O de Mário Pinto, no Público de hoje, intitulado A importância das doutrinas sociais (p. 5). Isto a propósito de um livro que aquele professor universitário anda a ler, de Stefan Swiezawski, Redescobrir Tomás de Aquino (versão francesa). Escreve Mário Pinto: "talvez valha a pena lembrar que dois tópicos genéticos da filosofia são essenciais; (1) que a filosofia se abre a todo o ser (o natural e o sobrenatural), não excluindo nada do seu objecto; e (2) que a filosofia é, acima de tudo, amizade do saber - isto é: sobre-ordenada, e não subordinada".

1 comentário:

MJR disse...

Penso que este é um bom post sobre um bom artigo que analisa um livro indispensável.

E, recorrendo a Lobo Antunes em 'Os Cus de Judas', diria que a filosofia é algo mais do que a pulsão atávica para indagar, classificar e julgar, tal como a geografia é algo para além dos fusos horários:

‘Policiaram-me o espírito, em suma, e reduziram-me a geografia aos problemas dos fusos, a cálculos horários de amanuense cuja caravela de aportar às Índias se metamorfoseou numa mesa de fórmica com esponja em cima para molhar os selos e a língua.’