sexta-feira, 3 de fevereiro de 2006

ADUFE, REVISTA CULTURAL DE IDANHA-A-NOVA

O número do primeiro semestre de 2006 da agenda cultural de Idanha-a-Nova - Adufe - tem uma linha estética apreciável. Mas também um conteúdo igualmente interessante. O índice, para além do editorial, inclui a agenda e temas como vidas (os pastores de rebanhos), fauna, geologia, património, arte sacra, documentos, artesãos, gastronomia e hóteis, entre outros. As cinco primeiras imagens são retiradas dessa agenda, a começar pela capa.







O que marca a diferença quando contactamos a agenda Adufe é o design; basta comparar com as imagens oito e nove, a capa e duas páginas do interior do número anterior. Houve um salto qualitativo de destaque, passando de uma revista igual a muitas, artesanal e rotineira, a um projecto cultural. Agora, cada página é uma alegria.


Razão da mudança: a assinatura de Silva!designers (rua da Trindade, 5, 2º esq., 1200-467, Lisboa), responsável também pela Agenda Lx, de que inserimos aqui a capa da edição de Outubro passado. De Silva!designers conhece-se ainda o suplemento "Y" do jornal Público (o gabinete de design de Jorge Silva é/foi igualmente responsável pela revista Ler, para além da colaboração antiga no Independente e no suplemento "Mil Folhas" do Público).


Claro que, para além do gabinete de design, há um conjunto de artistas a dar apoio à Adufe, como o ilustrador Gonçalo Viana (a fauna do Tejo internacional) e os fotógrafos Valter Vinagre (Fé) e Paulo Muge (artesãos).

E percebe-se o interesse posto neste número 8 da revista: os 800 anos de Idanha-a-Nova e a redescoberta da sua riqueza cultural e patrimonial, de que o Cristo no Calvário, de madeira de carvalho do século XIII, acima exposto, é um exemplo.

2 comentários:

A. Farropas disse...

De facto, a última edição da agenda cultura está mesmo muito bem conseguida. Quer pelo design, quer pela qualidade dos conteúdos. Não sei se terá sido uma edição especial integrada nas comemorações dos 800 anos de Idanha-a-Nova, ou se uma viragem definitiva na concepção da mesma. Está muito à frente, em relação a edições anteriores. Espero que seja para continuar.

Pedro disse...

É para continuar. A revista passou mesmo para as mãos da Silva!designers, não teve a ver com as comemorações. Espero que o próximo número seja ainda melhor, já que vamos ter (muito) mais tempo para fazê-lo. De resto, a câmara de Idanha tem uma equipa que faz coisas muito interessantes na área da cultura, cujo trabalho não era bem divulgado pela agenda e que continua a ser a base da nova agenda.
Não tenho a certeza de que o design do Y seja do Jorge Silva, tinha a ideia que é dum atelier catalão. O do Mil Folhas é um projecto dele em colaboração com a Sónia Matos. Quanto a mim o trabalho mais espectacular do J. Silva foi a Lx Metrópole, que era editada pela Parque Expo e distribuída com o DN, o que talvez fosse um erro de casting, já que a revista nunca teve a divulgação que merecia.