quarta-feira, 29 de março de 2006

QUEBRA NAS VENDAS DOS JORNAIS GENERALISTAS

Os jornais generalistas registaram quedas nas médias de circulação paga em 2005, conforme a newsletter Meios & Publicidade (texto de Adriano Nobre) seguindo dados da APCT. A quebra dos jornais de 2005 face a 2004 foi de 7,2% (menos 26256 exemplares vendidos por dia).

O Correio da Manhã vende 113792 exemplares por edição (menos 1,9% que em 2004), seguindo-se o Jornal de Notícias com 95231 (variação negativa de 14,5%). Depois, vêm o Público com 48985 exemplares (quebra de 4,3% em termos de circulação paga), o 24 Horas com 48818 jornais vendidos diariamente (menos 1,8% de vendas que no ano anterior) e o Diário de Notícias, com33434 exemplares diários (menos 12,8%). O desejo do blogueiro e leitor de jornais é que este panorama se altere em 2006. Uma nota: o 24 Horas já não pode incluir no seu frontispício a informação que foi o único jornal que subiu no ano anterior.

Relativamente aos outros segmentos de informação em papel, as publicações económicas aumentaram as vendas, as revistas de sociedade baixaram (excepto a Caras), as femininas cresceram moderadamente e a TV 7 Dias reforça a liderança no sector das revistas de televisão.

1 comentário:

Marta Amado disse...

Penso que esta quebra de vendas na imprensa escrita, sobretudo nos jornais generalistas, deve-se em parte ao facto de muitas pessoas terem optado por ler as notícias via on-line.