18.2.07

HIPERMERCADOS

Em texto assinado por João Manuel Rocha (Público de hoje, pág. 42), dá-se conta de um estudo do CESOP (Centro de Estudos Sociais e de Opinião) da Universidade Católica Portuguesa para a Associação Portuguesa de Centros Comerciais sobre centros comerciais, hipermercados, horários de abertura e consumos.


Pelo estudo (inquiridos 5001 indivíduos; 1028 frequentadores de centros comerciais) fica-se a perceber que os portugueses desejam o regresso da abertura dos hipermercados nos feriados domingos à tarde. Esta liberalização apresenta vantagens e inconvenientes, de acordo com o trabalho agora publicitado. Entre as vantagens, apontam-se as de facilitar a vida a quem trabalha, criar mais emprego, com mais tempo para escolher e comprar e mais flexibilidade no uso do tempo. Das desvantagens, anoto trabalho dos empregados ao domingo à tarde, clientes longe das famílias nesse período e razões religiosas. Os motivos que levam os cidadãos a um centro comercial são: 52% vai às compras, 19% passear, 15% ao cinema e 12% a um restaurante. Num centro comercial, 43% dos produtos são comprados nos super e hipermercados, seguindo-se vestuário (roupa e calçado) com 32%

O trabalho científico foi coordenado por Henrique Lopes e as suas conclusões serão apresentadas em próximo congresso de centros comerciais (27 e 28 de Fevereiro).

Sem comentários: