12.4.08

A MODA VISTA POR GEORG SIMMEL

Saiu agora um pequeno volume de textos de Georg Simmel (1858-1918), Filosofia da moda e outros escritos, onde aquele autor alemão reflecte sobre moda. São três textos: "Filosofia da moda", "Psicologia do adorno", "Psicologia da coqueteria".

O tradutor e introdutor, Artur Morão - que também assina a tradução Teoria Estética de Theodor Adorno, agora em nova edição e à qual ainda não me referi neste espaço por absoluta falta de tempo -, aponta a moda em Simmel como associando núcleos fundamentais: sociedade, antropologia e crítica da modernidade. A moda é uma forma de vida, uma marca de distinção de classe enquanto contínua imitação de uma classe por outra, continua o tradutor e autor da introdução.

Como aperitivo para a leitura de Simmel, deixo aqui os subcapítulos de "Filosofia da moda", pequenos como notas em si: vida como dualismo, moda e imitação, arbitrariedade da moda, moda e classes, moda e estrangeiro, vestuário novo, tragédia da moda, moda e inveja, carácter frenético da moda, anti-moda, mulher e moda, moda como máscara, moda e vergonha, libertação pela moda, moda dentro do indivíduo, moda acelerada e moda barata, moda e eternidade, conforme e insubmisso à moda.

Igualmente deixo uma citação do segundo texto, "Psicologia do adorno" (p. 61): "O adorno aumenta ou amplia a impressão da personalidade, porquanto actua, por assim dizer, como uma emanação sua. Por isso, os metais reluzentes e as pedras preciosas foram, desde sempre, a sua substância; são «adorno» num sentido mais estrito do que a indumentária ou o penteado, os quais todavia também «adornam»".

Um apontamento final para a editora, Texto & Grafia, nova marca a quem desejo sucesso. Na colecção do livro de Simmel sairam e vão sair este mês e em Maio alguns volumes sobre cinema que me parecem interessantes para ler.