20.3.10

BECKETT SEGUNDO GABRIELA BORGES

No seu livro A poética visual de Samuel Beckett (2009), Gabriela Borges levanta o fazer constitutivo da estética televisivo do autor.

Gabriela Borges, no texto que constitui a base da sua tese de doutoramento, parte de Beckett como artista multimedia, das peças teatrais às peças radiofónicas e à colaboração com a BBC e direcção da emissora alemã Süddeutscher Rundfunk - SDR (1965) e ao cinema. Escreve ela: "Beckett experimenta com os códigos televisuais na criação de uma poética que se articula na montagem de imagens visuais e sonoras. A sua poética cria imagens televisuais abstractas, que se comunicam por meio de elementos estéticos mínimos, e imagens sonoras que distendem a narrativa, fazendo assim com que o visível e o invisível se desvelem no domínio tecnológico" (p. 124). A autora enfatiza a relação quase antagónica entre a economia de meios e o minimalismo radical de Beckett com o entretenimento frenético e interpelativo da televisão (p. 15).

Gabriela Borges tem doutoramento em Comunicação e Semiótica pela Universidade de S. Paulo e é docente na Universidade do Algarve. Em co-organização com Vítor Reia-Baptista, publicou Discursos e práticas de qualidade na televisão (Livros Horizonte).

Sem comentários: