19.3.10

MICHAEL SCHUDSON E O FUTURO DO JORNALISMO

Na conferência realizada hoje de manhã, Michael Schudson falou de cinco desafios colocados ao jornalismo na actualidade, que fazem desaparecer barreiras anteriores. Assim, em primeiro lugar, indicou a indistinção entre escritor e leitor, entre jornalista e leitor. Qualquer leitor pode escrever, como nos blogues. Em segundo lugar, perde-se a diferença de géneros, com a análise a encontrar-se com o comentário e a interpretação. Como terceiro foco, Schudson falou da indiferença crescente entre profissional e amador. Estamos numa cultura pro-am, em que os conhecimentos do amador são tão consideráveis como os do profissional. Em quarto lugar, o sociólogo e historiador do jornalismo reflectiu na perda de importância distintiva entre empresa lucrativa e não lucrativa, ou, por outras palavras, entre Estado e empresas privadas no tocante a apoios (falou da rádio pública americana e nos apoios do Estado aos media tradicionais, algo impensável há 20 anos). Finalmente, há uma perda de distinção entre a redacção (notícias) e a empresa comercial (publicidade).

Sem comentários: