6.1.11

RISCOS NA INTERNET

Portugal é um dos países com menor incidência de riscos online para crianças e jovens, abaixo da média europeia (12%), segundo resultados do inquérito inédito a 23000 crianças europeias de 9 a 16 anos, apresentados em Outubro de 2010 no Luxemburgo, no Safer Internet Forum, pela equipa do projecto EU Kids Online, coordenado pela Professora Sonia Livingstone da LSE (Reino Unido).
Apenas 7% das crianças e jovens portugueses declarou já se ter deparado com riscos como pornografia, bullying, mensagens de cariz sexual, contacto com desconhecidos, encontros offline com contactos online, conteúdo potencialmente nocivo gerado por utilizadores e abuso de dados pessoais. A maioria das crianças não declarou ter tido qualquer experiência perturbadora online e sente-se confortável em actividades na internet que alguns adultos consideram arriscadas. Contudo, os jovens portugueses de 11 a 16 anos estão entre os que mais declaram ter sentido bastantes vezes que estavam a fazer um uso excessivo da internet (49%), muito acima da média europeia (30%).

O inquérito, cujo trabalho de campo foi feito na Primavera de 2010, revelou também que 78% das crianças e jovens portugueses entre 9 e 16 anos usam a internet, estando entre os que acedem mais à internet nos seus quartos (67%) do que noutros lugares da casa (26%). Esta diferença é mais acentuada do que a média europeia (respectivamente 48% no quarto e 37% noutros lugares da casa).

Cristina Ponte, coordenadora nacional do projecto e professora de Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa, alerta que estas conclusões podem denunciar um padrão: "a utilização da internet pelas crianças e jovens portugueses nos seus quartos pode conduzir a um uso menos controlado da internet e a uma falta de acompanhamento por parte dos pais, que pode diminuir a falta de apoio das crianças em caso de haver exposição a alguns riscos online. O inquérito veio também mostrar que são as mais novas as que mais expressaram desconforto pelas situações de risco que experimentaram".

No próximo dia 4 de Fevereiro, realiza-se uma conferência nacional para discutir como Portugal aparece no retrato. Saber mais.

Sem comentários: