1.2.11

MEDIA SOCIAIS E MÉDIO ORIENTE

Os acontecimentos que estão a ocorrer em diversos países do Médio Oriente (Tunísia, Egipto, Jordânia e Iémene) parecem ter sido promovidos pelo Facebook, Twitter, YouTube e outros media sociais (blogues, email). A comunidade académica está a acompanhar o que se passa nesses países e começa a estudar o fenómeno.

O dr. Ralph D. Berenger (rberenger@aus.edu), professor associado da American University of Sharjah, dos Emirados Árabes Unidos, propõe-se publicar um livro, Social Media Go to War: Unrest, rebellion and revolution in the Age of Twitter. Enquanto os media tradicionais relatam a violência das ruas, os media sociais estão por detrás da preparação e organização dos eventos. Para o seu livro, o dr. Berenger procura 25 a 30 capítulos entre três e cinco mil palavras que examinem como se formam as redes e movimentos de massa, além de procurar compreender como reagem as autoridades no seu controlo e silenciamento. Aceitam-se propostas de capítulos até 15 de Abril próximo. Edição: 2012.

Por seu lado, com Johanne Kuebler e Ilhem Allagui como editores convidados, o International Journal of Communication (IJoC) [editores permanentes: Manuel Castells e Larry Gross] está a abrir uma chamada para artigos sob o tema Tunisian and Egyptian Revolutions and the Role of Communication Technologies, a ser publicado em 2011. Prazo para entrega: 15 de Março. Contacto: Ilhem Allagui (iallagui@aus.edu).

Sem comentários: