Interrupção

O blogue tem sido muito pouco atualizado. O trabalho de investigação e outros motivos obrigam a uma concentração de esforços num só sentido. Obrigado pela preferência manifestada desde 2003.

1.4.11

FESTA DO CINEMA ITALIANO

Entre o final de 2010 e início do 2011 quase metade dos bilhetes vendidos nas salas italianas correspondiam a produções nacionais, que frequentemente têm receitas superiores às dos blockbusters americanos. Em Itália foram rodados mais de 130 longas-metragens e 300 documentários. Estes números demonstram que a indústria cinematográfica italiana continua a ser uma das mais importantes do mundo. Por esta razão é muito importante realizar um evento que possa proporcionar aos espectadores portugueses uma selecção das mais marcantes produções italianas.

Lisboa (14 a 21 de Abril), Coimbra (27 a 29 de Abril), Porto (29 de Abril a 3 de Maio) e Funchal (5 a 8 de Maio) são cidades onde vai estar o festival.

Para competição, foram escolhidos sete filmes que pela sua linguagem, ousadia e capacidade expressiva, se distinguiram durante o último ano, demonstrando competência e desejo de fazer cinema de qualidade. A perspicácia de algumas produtoras, o crescimento exponencial do circuito de festivais em conjunto com uma geração de jovens realizadores interessados, permitiu que a qualidade das produções apresentadas fosse particularmente alta, permitindo uma selecção de incontestável valor. Mais de um terço dos filmes produzidos anualmente em Itália são primeiras ou segundas obras: Pietro, de Danielle Gaglianone, La pecora nera, de Ascanio Celestini, Una vita tranquilla, de Claudio Cupellini, Ad ogni costo, de Davide Alfonsi e Denis Malagnino, Et in terra pax, de Matteo Botrugno e Daniele Coluccini, Notizie degli scavi, de Emidio Greco, e Hai paura del buio, de Massimo Coppola.



Saber mais em http://www.festadocinemaitaliano.com/.

Sem comentários: