13.8.11

COLISEU DO PORTO

Já lá vi circo, cinema e ópera. Depois, o espaço enfrentou uma luta grande, quando uma igreja evangélica pretendeu comprá-lo para lugar de culto. A cidade intelectual defendeu o património cultural e o Coliseu voltou a ser o que era, embora o cinema hoje não utilize salas tão grandes como a que o espaço alberga.

Leio agora que está em obras, orçadas em cerca de 200 mil euros, dentro de "um projecto mais vasto que pretende ainda criar um Museu do Coliseu, transformar o Salão Ático e abrir uma esplanada no terraço" (Público). O revestimento negro do chão e das colunas do átrio, colocado na década de 1970, vai ser substituído por um em marmorite mais claro, conforme José António Barros, presidente da Associação dos Amigos do Coliseu do Porto (AACP). As obras arrancaram esta semana com a colocação de um taipal e a saída de muito entulho. Razões: o desaparecimento das bilheteiras e das vitrinas onde eram colocados os cartazes de divulgação dos espectáculos.

Em Setembro, o Coliseu reabre com ópera e concertos Promenade (fotografias da fachada e da rua Passos Manuel, onde fica o Coliseu, feitas a partir de telemóvel).

Sem comentários: