20.9.11

OBITEL

No segundo dia do encontro da Obitel, houve apresentações nacionais, casos do Uruguay, México, Espanha e Estados Unidos (aqui, a produção de ficção de língua castelhana). Retive alguns elementos como o peso da produção e das co-produções, a existência de públicos diversificados (jovens, adultos, mais velhos), com consumos distintos, a importância de temas universais mas adaptados a realidades nacionais e regionais e alguma coincidência desses temas e circulação de alguns títulos (comprados e adaptados aos países de recepção).

Nas comunicações produzidas, discutiram-se também formatos (séries, minisséries, telenovelas) e o papel dos actores (alguns cuja popularidade garante audiências elevadas) e dos argumentistas. Uma questão introduzida no presente ano no anuário do Obitel, a da transmediação (a partir do conceito desenvolvido por Henry Jenkins), com o uso das redes sociais como comentários e sugestões, foi comum às comunicações. Indique-se que os diferentes países trabalharam dados nacionais a partir de uma grelha de análise comum, o que permite estabelecer uma comparabilidade admirável.

Ler mais aqui e aqui.

Sem comentários: