4.1.12

O poder da voz na comunicação para Maria Helena Falé

O poder da voz na comunicação: deliberações do provedor do ouvinte foi a dissertação apresentada por Maria Helena Falé na Escola Superior de Comunicação Social (Lisboa), hoje ao fim da manhã. Antiga locutora, jornalista, realizadora, apresentadora e coordenadora de noticiários, programas radiofónicos como Quando o Telefone Toca e Programa da Manhã e programas televisivos, profissional desde 1966, ela concluiu agora um trabalho que posso dizer que estava na sua mente há muitos anos. Do resumo da sua dissertação, retiro algumas ideias: "a voz que dá vida à palavra, a voz que está para a rádio como o grafismo está para o jornal, a forma que atrai para o conteúdo" tem na rádio uma maior exigência. Respiração, articulação, entoação, inflexão, projecção, tom, ritmo e pausas são elementos da boa voz na rádio.

Como tema de estudo empírico, Maria Helena Falé analisou os relatórios do provedor do ouvinte da rádio pública para compreender como a voz tem evoluído e alterado na rádio, em especial a partir dos relatórios escritos por Adelino Gomes, provedor que dedicou maior atenção ao domínio da voz radiofónica. A investigadora fez ainda um conjunto apreciável de entrevistas como especialistas e homens e mulheres da rádio que fizeram as suas observações práticas sobre a voz e o seu uso na rádio. Foram seus orientadores Maria Inácia Rezola e Carlos Andrade.

No pequeno vídeo abaixo, a agora mestre recorda os seus primeiros tempos de actividade na rádio.




Ler o texto completo em http://industrias-culturais.hypotheses.org/19412.

Sem comentários: