Interrupção

O blogue tem sido muito pouco atualizado. O trabalho de investigação e outros motivos obrigam a uma concentração de esforços num só sentido. Obrigado pela preferência manifestada desde 2003.

14.9.14

Mercado de 31 de Janeiro (Saldanha)

O mercado 31 de Janeiro, ao Saldanha (Lisboa), foi remodelado. Pareceu-me mais bonito e animado. Algumas bancas (peixe) desceram do andar superior, juntando-se às outras bancas de produtos frescos e a lojas de artesanato. O andar liberto vai ser ocupado para outras actividades.

Os mercados públicos higienizados foram sendo construídos no começo da década de 1950, como o de Arroios. Era um tempo em que a cidade crescia em termos de população e não havia ainda as grandes cadeias de distribuição de bens alimentares. Com o tempo, com a diversidade de produtos e horários mais alargados e compatíveis com as novas necessidades da população que sai cedo de casa para o emprego e volta tarde, os mercados públicos perderam clientela. O mercado da Ribeira, mais antigo, está a reinventar-se. O mercado de Campo de Ourique é uma mistura interessante entre o mercado de produtos alimentares frescos e espaços de degustação.

Agora, o mercado de 31 de Janeiro segue nessa linha de adaptação. Ainda me lembro há 40 anos ele funcionar em espaço aberto, como seria em 1920 ou 1930. Nos últimos 20 anos, e até porque a pressão imobiliária foi forte, a zona foi urbanizada e o mercado ficou enquadrado no interior de um edifício. A concorrência das cadeias de distribuição e, repito, os horários desenquadrados da vida moderna, afastaram os clientes. Para quem sai às 18 ou 19:00 do emprego não serve um mercado que às 17:00 já não funciona.

Ontem, até havia espaço para a tecelagem artesanal.


Sem comentários: