7.4.15

Billie Holiday

"Os estudiosos do jazz, aquela música imprevista e tantas vezes improvável que nos eleva acima de todas as lógicas, mantêm-se acantonados em dois grandes grupos: uns fazem finca-pé na supremacia de Ella Fitzgerald (1917-1996), a mulher que nunca forçou uma nota, que criou e desenvolveu uma naturalidade no canto que só os dotados com o dom conseguem manter como regra sem excepção. Do outro, aparecem as trincheiras que defendem que nunca houve uma cantora popular como Billie Holiday, a mulher cujo centenário assinalamos hoje mesmo e que foi empurrada, de forma pouco suave e nada discreta, para uma morte prematura aos 44 anos (para registo: a 17 de Julho de 1959), uma idade em que muitas das vozes do jazz ainda estão a colher temperos para a respectiva identidade musical" (Diário de Notícias de hoje, dia do centenário do seu nascimento).

Sem comentários: