Interrupção

O blogue tem sido muito pouco atualizado. O trabalho de investigação e outros motivos obrigam a uma concentração de esforços num só sentido. Obrigado pela preferência manifestada desde 2003.

7.5.15

As revistas de informação segundo Carla Cardoso

Foi hoje à tarde que a Carla Cardoso, responsável da licenciatura em Comunicação e Jornalismo na Universidade Lusófona desde 2013, defendeu a sua tese de doutoramento intitulada A Newsmagazine em Portugal: 70 anos até à consolidação do conceito. A prova decorreu na Universidade Nova de Lisboa, onde ela já defendera a tese de mestrado em 2006, como aqui referi na altura.

A tese debruça-se sobre o segmento da newsmagazine, como hoje a entendemos, nascida em 1923 nos Estados Unidos, com a Time. O objecto de investigação empírica foi a análise das revistas portuguesas no longo período de 1967 a 2014, num total de 15 publicações, de que destacou a Visão e a Sábado, mas  também Vida Mundial, Observador, Opção, Grande Reportagem, Focus e outras. Em trabalho muito minucioso, Carla Cardoso olhou as capas e os títulos e temas de edições número 0 e 1, além de números especiais (aniversários, por exemplo). Do trabalho, fica um acervo muito importante deste tipo de publicações, esperando-se agora a sua divulgação para além do circuito académico.

Do que eu disse, destaquei o texto limpo, claro e agradável, apesar da dimensão (626 páginas), o ponto 1.7 onde escreveu sobre jornalismo de revista e criou uma nova palavra - jorvista - que caracteriza o cruzamento de jornal e revista.


Na foto, da esquerda para a direita: Rui Francisco Cádima, Rogério Santos, Cristina Ponte (a orientadora), Carla Cardoso (a nova doutora), Jorge Pedro Sousa, Estrela Serrano e Carla Baptista.

Sem comentários: