3.6.15

Doutoramento de José Carlos Gonçalves na Universidade da Beira Interior

Foi no passado dia 15 de maio que José Carlos Fernandes Gonçalves defendeu a tese de doutoramento A relação entre os media e a GNR em Portugal, a nível local, à luz da teoria dos campos, na Universidade da Beira Interior (Covilhã).

Retiro a informação do sítio http://www.labcom.ubi.pt/sub/evento/895: "A investigação desenvolvida partiu de duas questões fundamentais. Através de que forma(s), os jornais e/ou rádios, a nível local, concretizam uma lógica de relação permanente com a polícia? De que maneira é que o poder detido por cada campo em estudo se manifesta na relação que os mesmos possam manter entre si? Os dados empíricos recolhidos através de estudo caso, observação (não participante) e entrevistas permitiram, segundo o autor, extrair diferentes conclusões. José Carlos Gonçalves destaca o facto de «ter ficado vincado que a intenção final dos agentes que se disputam socialmente passa pela legitimação pública (considerados os interesses tidos por cada um dos campos na disputa de produção de sentido e mediante o uso de diferentes estratégias próprias)». Segundo o autor da pesquisa desenvolvida, «para além do acesso privilegiado da GNR aos media locais no distrito, aquela força de segurança consegue a cobertura noticiosa que mais lhe convém». As conclusões obtidas referem a existência de uma valorização por parte dos media (mediante os enquadramentos) daquilo que é próximo; ambos os campos valorizam a credibilidade na interação; e o poder dos media reside essencialmente em selecionar e ter a última palavra no que é notícia, face ao poder da polícia (GNR) se constituir como fonte de informação. O estudo desenvolvido permitiu «identificar os interesses de cada campo em estudo, bem como as estratégias utilizadas na relação mantida», explica José Carlos Gonçalves".


Na fotografia (publicada no sítio http://www.labcom.ubi.pt/sub/evento/895), da esquerda para a direita: Rogério Santos, Hermenegildo Ferreira Borges (Universidade Nova de Lisboa), Teresa Cierco Gomes (co-orientadora) (Universidade do Porto), João Carlos Correia (Universidade da Beira Interior), Anabela Gradim (Universidade da Beira Interior), o novo doutor José Carlos Gonçalves (GNR), Joaquim Serra (Presidente Faculdade de Artes e Letras da Universidade da Beira Interior e presidente do júri), José Ricardo Carvalheiro (orientador) (Universidade da Beira Interior) e Joaquim Fidalgo (Universidade do Minho).

Sem comentários: