13.11.15

Apresentação na secção de Rádio e Meios Sonoros - SOPCOM

Coimbra, Escola Superior de Educação. Nair Prata e colegas apresentavam a sua comunicação.

 
No intervalo, foi bom ver muitos dos colegas de investigação na área da comunicação. É o momento central celebratório - o reencontro, com a troca de informações sobre o que cada um faz e investiga. E ponto de partida para novas colaborações. 

Amanhã, sob o título Programar a rádio pública portuguesa no começo da década de 1970. O papel do Conselho de Planeamento de Programas da Emissora Nacional (CPP), falarei desse órgão consultivo interno da rádio pública. Nele assentavam os principais dirigentes da estação, incluindo o presidente da Emissora Nacional, parte da sua direção e os chefes de divisão e repartição de programas, de informação e de música clássica e ligeira. Apesar de consultivo no estatuto, o CPP era o segundo órgão de poder da estação, a quem cabia aprovar a programação semanal da estação pública. Se a direção recebia orientações políticas de cima (presidente do Conselho de Ministros, Secretaria de Estado da Informação), o CPP aplicava essas orientações políticas no terreno, caso da informação e da música emitida. Historicamente, o período correspondeu a parte do governo de Marcelo Caetano (1968-1974), que sucedeu ao longo governo ditatorial de Oliveira Salazar (1932-1968). A investigação decorre da análise qualitativa de conteúdo a 126 atas de reuniões do CPP efetuadas entre Janeiro de 1969 e Dezembro de 1971, totalizando 431 páginas de texto dactilografado.

Sem comentários: