Interrupção

O blogue tem sido muito pouco atualizado. O trabalho de investigação e outros motivos obrigam a uma concentração de esforços num só sentido. Obrigado pela preferência manifestada desde 2003.

1.2.16

A rádio na JJ - Jornalismo e Jornalistas

"O objetivo do texto é traçar linhas de atuação da informação na Emissora Nacional no final do Estado Novo e início do regime democrático. Passou-se de uma época assente em valores noticiosos oficiais, imutáveis e apologéticos das realizações políticas de Salazar, Caetano e Tomás para um período experimental e pleno de contradições, com preocupações diferentes como condições de vida do povo e exaltação de uma sociedade mais justa", escrevo no começo de texto agora publicado na revista Jornalismo e Jornalistas (número 61, respeitante a outubro-dezembro de 2015). Observação: no texto, menciono o tenente-coronel José Luís Ferreira da Cunha, secretário de Estado, como interveniente na legislação da nacionalização da rádio em dezembro de 1975, quando a mesma se deve a António Almeida Santos, então ministro da Comunicação Social. Ferreira da Cunha estava então a braços com uma acusação de ter pertencido a um organismo do Estado Novo.

O número da revista é dedicado aos 80 anos da entrada em funcionamento da Emissora Nacional e tem textos de Luís Bonixe, Elsa Costa e Silva, Madalena Oliveira, Ana Isabel Reis, Maria José Brites, Ana Jorge e Mário Rui Cardoso, além de uma entrevista à provedora do ouvinte Paula Cordeiro.


[textos e imagens retiradas de Rádio & Televisão, 8 de abril de 1972, Flama, 3 de novembro de 1972, e Diário Popular, 6 de maio de 1974]


1 comentário:

Gonçalo Pereira disse...

Li ontem dois terços desta nova edição da JJ. Gostei muito – um dos melhores esforços que conheço de divulgação da história. Excelente artigo o seu, profusamente documentado. Parabéns!