Interrupção

O blogue tem sido muito pouco atualizado. O trabalho de investigação e outros motivos obrigam a uma concentração de esforços num só sentido. Obrigado pela preferência manifestada desde 2003.

23.2.16

Tennessee Williams nos Artistas Unidos

Vi Doce Pássaro da Juventude no Teatro Nacional de S. João (Porto) e Gata em Telhado de Zinco Quente no Teatro Municipal de São Luiz. Jorge Silva Melo quis homenagear os atores com quem vem trabalhando nos quase vinte anos dos Artistas Unidos: Maria João Luís, Catarina Wallenstein, Rúben Gomes, Américo Silva, Isabel Muñoz Cardoso, Vânia Rodrigues, Nuno Pardal, Tiago Matias, João Vaz.

Daí, nasceu a ideia de revisitar Tennessee Williams (a terceira peça está programada para 2017: Noite da Iguana) e fazer percorrer as peças pelo país. Assim, Gata em Telhado de Zinco Quente estreou em Viseu. São peças cujo longo primeiro ato trata da relação entre homem e mulher numa situação de transgressão ou a indiciá-la: o gigolo (Chance Wayne, por Rúben Gomes) e a atriz decadente Alexandra del Lago, por Maria João Luís), com uma dependência monetária e emocional numa, a homossexualidade escondida no casal ainda jovem (Brick Pollit, por Rúben Gomes, e Maggie, por Catarina Wallenstein). Mas também triângulos amorosos, com Heavenly. O mais interessante é descobrir que estas histórias se desenrolam numa América de finais da década de 1940 e inícios da seguinte, com códigos morais ainda muito rigorosos.

As mulheres são violentadas mas adquirem poder - pela coragem, persistência ou simples deixar correr o tempo -, mas os homens parecem sair sempre a perder. Tennessee Williams atribui alguma equivalência nos estatuto dos homens nas duas peças: Chance é uma espécie de personagem negra por oposição a Brick, nos dois há uma adolescência feliz mas perdida definitivamente: a doença de Chance transmitida a Heavenly em Doce Pássaro da Juventude, a amizade aparentemente não sexual de Brick pelo já falecido Skipper. Mas Chance pode também ser encarado como criminoso degenerado, designação próxima de homossexual. Há ainda o papel do pai autoritário, certamente bebido na experiência familiar do dramaturgo: o pai Heavenly quer vingar a doença venérea, o pai Pollit diferencia violentamente os dois filhos, punindo aquele que aparenta ser o mais próximo do ideal de prosperidade.

Sem comentários: