Interrupção

O blogue tem sido muito pouco atualizado. O trabalho de investigação e outros motivos obrigam a uma concentração de esforços num só sentido. Obrigado pela preferência mantida desde 2003.

14.5.17

Jornalismo iconográfico em livro de Jorge Pedro Sousa



Veja! Nas Origens do Jornalismo Iconográfico em Portugal: um Contributo para uma História das Revistas Portuguesas (1835-1914), livro de Jorge Pedro Sousa e editado pela Media XXI, foi ontem lançado na Universidade Fernando Pessoa (Porto) [ver abaixo depoimento do autor em vídeo].

Na mesa, para além do autor, de Ricardo Jorge Pinto, o editor João Paulo Faustino, João Lourival da Silva, a apresentação principal coube a Helena Lima (Universidade do Porto). Para esta investigadora, a obra agora conhecida é densa e resulta de trabalho meticuloso e sistemático, referindo que o tema - história do jornalismo - não é uma área moderna e popular. Ela destacou ainda o prazer da leitura da obra, pois constitui uma aprendizagem da história dos media e, por isso, útil para os investigadores. Ao olhar para as sucessivas imagens que acompanham o livro, torna-se possível ver a transformação do jornalismo e dos seus públicos, que evoluíram de um público de elite para uma massificação de leitores. Uma das vantagens expostas pela imprensa ilustrada é que mesmo os que não sabem ler conseguem entender o significado das imagens.


Como objetivos principais do livro, Jorge Pedro Sousa destaca: elaborar um inventário das principais revistas ilustradas portuguesas (entre 1835, ano da primeira revista, e 1914, começo da I Guerra Mundial), papel das revistas ilustradas na transformação do jornalismo em Portugal na viragem do século XIX para o seguinte, identificar e mapear o contributo de fotógrafos e outros profissionais ligados à ilustração (com um valioso apêndice com os nomes e funções), compreender que imagem as revistas ilustradas deram da sociedade do seu tempo e que valores, ver semelhanças e divergências entre o jornalismo gráfico nacional e o internacional. Trabalho ambicioso, pois, alicerçado por uma metodologia rigorosa. Ainda na introdução, o autor desenvolve o referencial teórico, apresentando muita bibliografia nova sobre o tema do jornalismo iconográfico, que interessa a quem estuda a matéria.

Os capítulos 2 a 4 detalham as três gerações de revistas ilustradas, de acordo com a datação proposta por Jorge Pedro Sousa. A primeira é constituída por revistas enciclopédicas ilustradas pós século XVIII, enquanto a segunda não abandona a característica cultural generalista mas propõe também a atualidade, como os acontecimentos, e a terceira, mais para o final do século XIX, em que há uma grande preponderância da imagem, indo da gravura à fotografia. Aqui, começa o fotojornalismo, um dos temas mais estudados pelo autor e objeto de publicação em anos anteriores.

1 comentário:

Cezar Neves disse...

Grandioso professor, estudioso do Jornalismo. Propagador na história moderna, sobre como se conta a história. Esse é Jorge Pedro Sousa