17.5.10

MOBILIDADE E HOSPITALIDADE

Próximo Futuro é um Programa Gulbenkian de Cultura Contemporânea "dedicado em particular, mas não exclusivamente, à investigação e criação na Europa, na América Latina e Caraíbas e em África. O seu calendário de realização é do Verão de 2009 ao fim de 2011" (fotografia da capa de Roberto Huarcaya).

Escreve António Pinto Ribeiro no número 4 (Maio de 2010) sobre mobilidade e hospitalidade: "É um facto que em todos os continentes existem cidades, regiões, lugares, rotas e caminhos que, desde sempre, foram assinalados como propiciadores de criatividade e de desenvolvimento social e económico. Cidades mais ou menos míticas, locais de peregrinação histórica, religiosa ou apenas de mera fruição turística foram - e, em alguns casos, permanecem - lugares de acolhimento onde se cruzam e convivem comerciantes, artistas e intelectuais que aí produzem, trocam e criam, dando-lhes visibilidade. Estas profissões, com vocação universal, estão tradicionalmente associadas às deslocações transfronteiriças e ao nomadismo mais ou menos sazonal. A elas, portanto, há muito que associamos aquilo que hoje designamos como a mobilidade dos trabalhadores".

Do texto sobre o 3º workshop de investigação "Gestão das Organizações Culturais e Sociais", retiro a seguinte parcela: "As estruturas teatrais enfrentam, no seu funcionamento quotidiano, um conjunto de questões e de problemas económicos específicos, os quais têm sido profusamente estudados e discutidos no campo da economia da cultura. Contudo, uma ampla panóplia de especifi cidades, em termos económicos, culturais, institucionais e sociais, condiciona fortemente esta actividade, em múltiplas dimensões. Este artigo pretende identificar empiricamente e tipificar os diversos tipos de situações e de reacções a estes problemas, por parte de um conjunto diverso de instituições no campo das artes performativas (marcadas por uma forte diversidade, em termos do seu perfil e das suas opções ao nível estético, cultural e da sua orientação em relação aos seus mercados, mas igualmente por uma multiplicidade de outras características como, por exemplo: padrão de localização, questões geracionais, papel da liderança individual, estrutura organizacional, origens dos financiamentos, etc.)".
 


A Bandjoun Station está situada nos Camarões Ocidental e o seu alojamento permite que artistas criem e produzam nas instalações (imagem retirada da p. 11 do referido número de Próximo Futuro).

1 comentário:

Cristina S. disse...

Este programa traz nomes extraordinários a Portugal: e deles destaco a notável teórica indiana (professora na Universidade de Columbia) Gayatri Spivak autora do fundamental artigo do pos-colonialismo: "Can the subaltern speak?".
É fundamental ir ouvi-la.