Interrupção

O blogue tem sido muito pouco atualizado. O trabalho de investigação e outros motivos obrigam a uma concentração de esforços num só sentido. Obrigado pela preferência manifestada desde 2003.

22.1.11

SERVIÇO PÚBLICO DE TELEVISÃO (X)

Uncertain vision é um texto de Georgina Born sobre a BBC. A autora passou diversos anos a estudar o serviço público de audiovisual inglês, em especial os canais de televisão da BBC - 1995 a 1998, 2001 -, resultando uma profunda etnografia. Observação participante, com a escrita de oito diários, e 220 entrevistas fazem do estudo talvez o mais importante sobre aquela empresa, desde sempre.

Born avalia o trabalho desenvolvido por dois directores-gerais que sucederam um ao outro: John Birt (1993-2000; fora anteriormente director-geral adjunto, 1987-1993) e Greg Dyke (2000-2004). Recorde-se que Margaret Thatcher, do partido conservador, foi primeiro-ministro entre 1979 e 1990, a que sucedeu John Major (1990-1997), do mesmo partido, substituído por Tony Blair (partido trabalhista, 1997-2007), o que quer dizer que Birt trabalhou com dois tipos de administração governativa. Cultura de Estado, novo tipo de gestão introduzido por Birt, aproximando a cultura da BBC a valores comerciais e de marketing, com introdução de estudos de auditoria e audiências, e análise das estruturas internas da BBC em especial a produção de ficção e de informação são alguns dos tópicos apresentados por Born.

Nas páginas finais do seu extenso livro (564 páginas), a autora escreve mais atentamente sobre o serviço público de televisão (e rádio). Para ela, devido ao número crescente de conflitos internacionais e tensões domésticas, o serviço público funciona como arena independente para o complexo diálogo político e cultural que exige partilha, bem comum, reciprocidade e tolerância, não apenas com plataformas comuns para a discussão pública mas também representação e expressão dos diversos grupos da sociedade (p. 508). Hoje, uma nação é vista além da ideia de comunidade imaginada (Benedict Anderson), pois as identidades colectivas (minorias étnicas, culturais, religiosas) tornam a nação uma comunidade de comunicadores. O que significa que o serviço público de televisão tem de responder a ordens políticas distintas, a realidades multifacetadas (p. 512). O serviço público desempenha um duplo papel: memória social e observação e intervenção no presente. Born acrescenta a dinâmica tecnológica trazida pelo ambiente multicanal e multimedia e pela justaposição e mistura de géneros televisivos. O exercício da cidadania é melhor desempenhado pelo serviço público do que pelas redes comerciais de audiovisual, com objectivos diferentes e lógicas de mercado segmentado e em busca de publicidade e lucro (p. 515). Uma ideia final é a do encontro entre a maioria social e as minorias, dentro do que ela chama de função da diversidade na unidade cultural (p. 516). O papel da BBC já não é o atribuído por Reith (director-geral da BBC entre 1927 e 1938), o de representar uma nação unificada, mas o de fornecer um espaço de unidade adequado à pluralidade das comunidades imaginadas e de comunicadores (p. 517).

Leitura: Georgina Born (2005). Uncertain vision. Birt, Dyke and the reinvention of the BBC. Londres: Vintage

Sem comentários: