Interrupção

O blogue tem sido muito pouco atualizado. O trabalho de investigação e outros motivos obrigam a uma concentração de esforços num só sentido. Obrigado pela preferência manifestada desde 2003.

16.12.12

Crianças e media

Sobre o livro Crianças & Media. Pesquisa Internacional e Contexto Português do Século XIX à Actualidade, de Cristina Ponte, agora editado pela Imprensa de Ciências Sociais, escreve Ana Nunes de Almeida na contracapa:

"A trilhar o seu caminho no Ocidente europeu desde meados dos anos 80, a sociologia da infância tem defendido a importância de se considerar a infância como um construção social, produto contingente do tempo e do espaço, afastando-se das perspetivas que a retratam como realidade biológica ou categoria universal; na mesma linha, sublinha a heterogeneidade interna das condições infantis, que produzem relevo e diferença num cenário desigual; e reivindica, ainda, o direito que as crianças têm de ser estudadas autonomamente, por direito próprio, o que se traduz metodologicamente na necessidade de a investigação lhes «dar voz». Inspirada em tais princípios, num livro onde a mudança social em Portugal constitui o fio condutor, Cristina Ponte propõe-nos cruzar a infância com os media - relação surpreendentemente pouco explorada na literatura científica. Fazendo uso da sua vasta experiência de pesquisa na área e numa linguagem simultaneamente rigorosa e atrativa, a autora fornece ao leitor criteriosos instrumentos de compreensão da experiência social das crianças na sociedade contemporânea".

O livro divide-se em duas partes e onze capítulos. A primeira parte é teórica, onde se abordam temas como a emergência do conceito moderno de infância, o contributo dos media para a construção do conceito, mudança social e medos dos media, a literatura infantil e a força da imagem. A segunda parte é empírica e incide sobre investigações que a autora tem conduzido nos últimos anos. Cristina Ponte, na introdução do livro, desenvolve melhor a divisão em duas partes. Ela parte da afirmação do modelo económico do capitalismo e da racionalização na divisão do trabalho, com reflexo na produção mediática da construção da infância (pp. 17-18). A segunda parte, para a autora, está atenta às mudanças ocorridas em Portugal desde 1974.

Da minha leitura, destaco o rigor e a profundidade dos temas e a vasta bibliografia utilizada, da reflexão sobre textos de autores internacionais ao uso de livros e revistas publicadas ao longo do período de análise, em especial em Portugal. A obra resulta das provas de agregação em Estudos dos Media e do Jornalismo na Universidade Nova de Lisboa, onde Cristina Ponte é docente.

Leitura: Cristina Ponte (2012). Crianças & Media. Pesquisa Internacional e Contexto Português do Século XIX à Actualidade. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 234 páginas