17.3.13

O "black metal" segundo Sónia Pereira

media e crimeO número mais recente da revista Comunicação e Cultura (14) traz o título "Media e Crime", o tema central. Para os organizadores do volume, José Manuel Paquete de Oliveira e Verónica Policarpo, confirmou-se "um evidente maior grau de visibilidade do crime, dado o aproveitamento das notícias sobre o fenómeno da criminalidade fomentar um forte e apetecível efeito de captação de audiências, ao preencher um conjunto considerável de critérios de noticiabilidade".

Na edição, há textos de Chris Greer e Eugene McLaughlin, Lieve Gies, Yvonne Jewkes, Marília de Nardin Budó, Leonor Sá (cujo trabalho se debruça sobre o retrato judiciário, de onde sairam as fotografias da capa) e Argus Romero Abreu de Morais e Ivan Vasconcelos Figueiredo. A revista Comunicação e Cultural traz outros textos fora da temática principal.

Destes, destaco o de Sónia Pereira, assessora científica do Centro de Estudos de Comunicação e Cultura, que edita a publicação, onde ela escreve sobre o black metal. Este, desde finais da década de 1980 e início da década seguinte, distinguiu-se dos outros géneros por causa do seu discurso radical e mais transgressivo. Para a autora (que podemos ver num curto vídeo abaixo), elitismo, individualismo e misantropia são três características da comunidade black metal, a par de um apelo nostálgico de regresso a um passado ideal, com recusa da modernidade (elementos a partir da síntese do texto).