Interrupção

O blogue tem sido muito pouco atualizado. O trabalho de investigação e outros motivos obrigam a uma concentração de esforços num só sentido. Obrigado pela preferência manifestada desde 2003.

25.6.13

Florbela Espanca no Porto

espancaEspanca - eu não sou de ninguém, com encenação de Roberto Merino, direção artística de Isabel Maya e direção musical de Emma Sørås e Francisco Reis, esteve no pequeno auditório do teatro Rivoli, Porto, entre 21 e 23 de Junho, com os atores Inês Cardoso, Daniel Pinheiro, Joana Bastardo, Herivelton Santana e Angélica Neves. A música original pertence a Isabel Maya. Produzido pela Vocare, integrado no projeto Roteiros da Poesia Portuguesa, e depois de Ary dos Santos e Bocage, a peça sobre Florbela Espanca.

Através de leitura encenada da sua obra, combinou-se poesia e música, entre o recital e o musical. Na peça, falou-se do misticismo na sua poesia, da sua emancipação enquanto mulher, dos seus desgostos de amor, da morte inesperada do seu irmão e do agravamento da sua neurose. Alguns poemas editados no livro Charneca em flor (1931) seriam interpretados, ocupando o lado direito do palco. Em palco, duas atrizes representaram idades diferentes de Florbela Espanca, uma mais jovem e outra mais velha. O lado esquerdo do palco foi o espaço dos músicos, o Ensemble Tutti per l'Arte, ensemble original da Vocare.

A Vocare - Instituto Profissional da Voz e da Comunicação é uma entidade de formação especializada no estudo da voz e das artes performativas do espetáculo. Isabel Maya e Angélica Neves fazem parte do seu corpo docente. Roberto Merino é o diretor do curso de Teatro da Escola Superior Artística do Porto.