15.3.14

Media e desporto

Encontra-se a decorrer a sétima cimeira em comunicação e desporto promovida pela IACS (International Association for Communication), apoiada pelo Marist College Center for Sports Communication, em Nova Iorque.

De uma das comunicações (Merryn Sherwood) sobre o perfil do diretor de comunicação desportivo, retirei algumas ideias interessantes: 1) crescimento dos profissionais de media e relações públicas desportivos, 2) frequência universitária (85% no caso do país estudado: Austrália), 34 anos de média de idade dos diretores de comunicação desportivos, especialização em comunicação e jornalismo, 3) título do emprego (relações com os media, relações públicas, escritor e editor, comunicação corporativa estratégica, produtor de conteúdos), 4) competências exigidas a nível pessoal (capacidade de atuar sob pressão, gestão do tempo, flexibilidade, ética forte) e a nível técnico (comunicação, escrita, papel de entendimento de situações, conhecimento desportivo).

De uma das outras comunicações que registei, de Lothar Mikos e Hans-Jorger Stiehler, retirei a importância dos direitos de licenciamento das transmissões, que chegam aos 628 milhões de euros na presente temporada do futebol na Bundesliga alemã. Os autores identificaram cinco plataformas (televisão a pagamento, televisão de acesso livre, rádio e internet, online e móvel. O futebol é a principal modalidade transmitida na televisão, com uma média de 185 minutos de cobertura para noventa minutos de jogo. Como conclusões, os dois autores alemães identificaram a comercialização do desporto mediatizado, um aumento de histórias pessoais e uma maior entronização dos fãs com ênfase na sua emoção.


Um sumário da minha comunicação pode ser visto abaixo:

Sem comentários: