10.2.15

Rádio em FM na Índia

Os disfóricos passam o tempo a dizer que a rádio vai desaparecer. Primeiro, porque o vídeo matou a rádio, como dizia uma canção muito popular, depois, porque a internet está a transformar os media no geral. Mas o mundo é muito grande e há tendências imprevistas e muito curiosas. Assim, na Índia, a rádio FM está em franco progresso.

Explico melhor: em texto publicado na revista Media, Culture & Society (2014), Biswarup Sen conta como a rádio FM está em expansão na Índia. A tecnologia foi introduzida no país em 1977, mas pode dizer-se que começou em 2001 quando foi lançada a primeira estação privada em FM, a Radio City, em Bangalore. Em Fevereiro de 2013, havia já 266 estações privadas de FM em 87 cidades indianas. A rádio em FM tornou-se sinónimo de cultura juvenil e estilos de vida modernos. Durante o século XX, a rádio na Índia foi organizada em moldes nacionalistas, incluindo infraestruturas e conteúdos, em especial após a independência face a Inglaterra e controlada pelo Estado. A onda de transmissão era a de AM (modulação de amplitude), com a primeira rádio a emitir em 1927 (Indian Broadcasting Company). Em 1974, por exemplo, a rádio em AM servia 80% da população. Os grandes temas eram reportagens do governo sobre desenvolvimento, palestras educacionais para jovens e pobres urbanos e rurais e música e programas ligeiros, sem qualquer intenção de enfoque de cidadania.

Sen apresenta três momentos no desenvolvimento da rádio FM na Índia: liberalização da economia no começo da década de 1990, desenvolvimento da televisão no período 1980-2000 e crescimento de uma cultura de mercado que redefiniu a natureza da audição e do consumo. Para o autor, os acontecimentos após 1991, com a liberalização da economia que levou ao fim o modelo de economia mista socialista, influenciaram o potencial da rádio em FM, com o reconhecimento da importância da propriedade privada e o novo impacto da televisão (introdução da cor na televisão em 1982 e transmissão do campeonato mundial de críquete em 1983, o que levou a um maior consumo no audiovisual e a um repensar do panorama da rádio e da televisão a nível nacional). O alargamento da classe média em todo o país levou a um diferente nível de consumo, que beneficiou a rádio.

Leitura: Biswarup Sen (2014). "A new kind of radio: FM broadcasting in Índia". Media, Culture & Society, vol. 36(8): 1084-1099

Sem comentários: