22.4.15

Jornalismo na (ou sobre a) Nigéria

"Jornalistas são pensadores natos de design. Jornalistas fazem perguntas e isso é o ponto central do design centrado no ser humano. Nós construímos a empatia com os nossos entrevistados, ouvindo suas histórias, conversando com eles e trabalhando ao lado deles; inserindo-nos em suas vidas, aprendemos os detalhes e os fatos não tão óbvios. Normalmente, nós ouvimos e observamos para que possamos melhor compreender a situação em que nossas fontes se encontram, permitindo que nossas histórias vão mais a fundo. Então, por que jornalistas não podem usar essas mesmas competências, esses mesmos poderes de observação, para saber quais são as necessidades dos nossos leitores quando se trata da notícia que recebem de nós? Podemos e cada vez mais conseguimos fazer isso. Nem sempre é fácil, porém. Cada público representa um desafio diferente. Impulsionar o seu envolvimento com a notícia --mesmo notícia realmente importante, como o trabalho em saúde tão necessário na Nigéria - é uma questão complicada" (Nuno Vargas).

Na sua mensagem colocada no Facebook,Nuno Vargas indicou, entre outros, o meu nome para apreciação do seu trabalho Usando pensamento de design para envolver o público em notícias de saúde. Ele resulta de um projecto de 9 meses na Nigéria agora terminado, em que ao jornalista importa conhecer o público profundamente de modo a que suas necessidades sejam reveladas. Um pormenor delicioso: dado um percurso profissional no Brasil, o autor usa termos como pauta (agenda) e usuários (utilizadores).

Um abraço ao Nuno!

Sem comentários: