Interrupção

O blogue tem sido muito pouco atualizado. O trabalho de investigação e outros motivos obrigam a uma concentração de esforços num só sentido. Obrigado pela preferência manifestada desde 2003.

4.1.16

Companhia Mascarenhas-Martins (Montijo)

No sábado dia 16 de janeiro, a Companhia Mascarenhas-Martins apresenta-se ao público como nova estrutura de produção artística sediada no Montijo e com o objetivo de desenvolver trabalho profissional nas áreas do teatro, cinema, música, literatura e artes plásticas. Em 2016, seu primeiro ano de actividade, a nova companhia tem nos seus planos apresentar dois espectáculos de teatro baseados em textos originais, produzir um documentário e organizar conversas sobre a importância de fundar e manter estruturas artísticas. Na primeira apresentação pública, partilhar-se-á com os espectadores alguns dos motivos que levaram à fundação da nova estrutura, numa reflexão para a qual foram convidados os responsáveis por algumas das mais antigas companhias de teatro em atividade. A conversa, na Casa Mora (Montijo), com início marcado para as 16:00, será uma reflexão sobre a importância de fundar e manter estruturas artísticas profissionais, com a participação de João Brites (O Bando), Luís Miguel Cintra (Teatro da Cornucópia), João Lourenço e Vera San Payo de Lemos (Teatro Aberto). À noite, pelas 21:30, o concerto de Maria Mascarenhas e Levi Martins, que interpretarão canções de várias épocas e origens, num concerto intimista e descontraído (texto e imagem fornecidos pela organização).

Adenda (18 de janeiro de 2016, 19:00): em baixo, duas imagens da conversa e do concerto. Na conversa, que contou com a participação de Luis Miguel Cintra (Teatro da Cornucópia), João Brites (Teatro O Bando), João Lourenço e Vera San Payo de Lemos (Teatro Aberto), foi feita a comparação entre o momento em que estes fundaram as suas companhias e a atualidade (amabilidade de texto e imagens de Levi Martins).



Sem comentários: