sexta-feira, 29 de junho de 2007

VENDAS DOS DIÁRIOS


Público e Diário de Notícias dedicam hoje a sua atenção aos números mais recentes da Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragens sobre vendas dos jornais. O Público destaca o aumento do último trimestre relativamente ao quarto trimestre de 2006, mas deixa para o quadro a descida relativamente a trimestre homólogo do ano passado. É mais habitual comparar-se períodos homólogos, admitindo que os consumos se comparam mais em meses semelhantes de anos sucessivos do que períodos sequenciais. O Diário de Notícias diz que foi o jornal que menos desceu em vendas em períodos homólogos (porém, se usassemos a comparação do Público, face ao trimestre anterior, haveria uma queda acentuada).



Infelizmente, os jornais pagos continuam a baixar. As razões encontram-se nas mudanças de hábitos dos leitores de jornais: 1) os gratuitos Destak e Metro distribuem acima de 170 mil jornais por dia, forte razão concorrencial, não estando ainda contabilizados os valores do Meia Hora, 2) o crescente peso da procura de informação na televisão, mas também na internet, 3) a fraca taxa de leitura dos portugueses.

Público e Diário de Notícias tiveram, nos últimos meses, mudanças significativas: novo modelo gráfico no primeiro, pendor híbrido de jornal de qualidade e popular no segundo. O próximo trimestre poderá dar valores mais precisos da influência destas medidas nos hábitos de compra de jornais.

1 comentário:

CS disse...

Curiosamente, os jornais económicos (a par com os gratuitos que, quanto a mim, não entram nesta contabilização) são os únicos que continuam a subir nas vendas. Neste trimestre o Diário Económico subiu 5%, para 166 mil exemplares e o jornal de negócios desceu 7%, para 108 mil exemplares face ao homólogo.

Chocante é também o crescimento do Correio da Manhã, que ja ultrapassou o Jornal de Notícias... 980 mil leitores!!!