sábado, 29 de dezembro de 2007

A CULTURA DOS BLOGUES NACIONAIS SEGUNDO PACHECO PEREIRA


Os blogues, a blogosfera, são um facto cultural novo nos últimos cinco anos. Não abunda assim tanto a novidade no domínio lato da cultura, para que possa passar despercebida, ou melhor, notada mas não percebida, ou erradamente percebida. Muita coisa nos blogues vem em continuidade do passado, existia noutros meios e sob outras formas, mas mesmo a que apenas fez a transmutação dos media clássicos para os blogues como media mudou também com o meio. Mudou e continua a mudar.

Para uma geração de jovens que só lê escassamente os jornais, para além dos desportivos e dos gratuitos, a "cultura de blogue" começa a deixar os seus traços próprios: redução temática considerada "importante" ao que é discutido nos blogues, valorização do posicionamento comprometido, de "prós e contras", maior radicalismo político e opinativo, mecanismos de identidade grupais ou tribais [...]. Não é um fenómeno "mau" por si só, tem também aspectos "bons", na proporção desigual que é habitual para Portugal nestas coisas, mas caminha para ser um instrumento suplementar que reforça as duas tendências em curso nos nossos dias: a da substituição da democracia pela demagogia e a espectacularização da sociedade.


Eis dois excertos do texto publicado hoje na coluna habitual de José Pacheco Pereira no jornal Público. Mais uma reflexão do historiador (designação que aparece no final da coluna) sobre os blogues. Para ele, a blogosfera nacional é um mostruário da nossa pobreza, feita simultaneamente de pequenos egos e da rareza de independência e inovação. E, ainda, ela é avessa às críticas a ela dirigida do mesmo modo que os media tradicionais. Ou seja: a blogosfera portuguesa transporta para dentro de si os males e defeitos dos media - não há, pois, novidades. Contudo, reconhece o articulista, a blogosfera permitiu colocar no espaço público muitas vozes que a ele não tinham acesso.

O realismo pessimista de Pacheco Pereira pode continuar-se a ler na edição de hoje do Expresso, onde ele e António Barreto reflectem sobre o Portugal de 2007. Sem que a blogosfera seja nomeada, existe um enquadramento semelhante a nível da sociedade. Parece que não conseguimos fugir à sina da incapacidade, tristeza e depressão nacionais.

2 comentários:

Concurso BiblioFilmes disse...

Parabéns pelo blogue.

Eu represento um grupo de professores que decidiu criar o concurso de vídeos no YouTube intitulado "BiblioFilmes – Livros, Bibliotecas, Acção!", que visa além de promover a leitura, o livro e as bibliotecas públicas e escolares através das novas tecnologias, angariar fundos.

Poderá encontrar mais informação na página oficial do concurso em http://bibliofilmes.com
e no blogue http://BiblioFilmes.blogspot.com .

Vínhamos, por este meio, divulgar a iniciativa e também convidar à divulgação e participação.

O concurso conta com o patrocínio aos prémios do El Corte Inglés e o apoio do Gabinete do Plano Tecnológico.

Os filmes terão de ser feitos até 2 de Abril de 2008 (Dia Internacional do Livro Infantil), data em que se iniciará o período de votações, até 23 de Abril (Dia Mundial do Livro), em que serão anunciados os vencedores.

Com os nossos melhores cumprimentos,

Organização BiblioFilmes
bibliofilmes (arroba) xariti.com

retorta disse...

Não é sina, mas lutar contra este estado de coisas custa muito em termos de esforço, tempo e recursos próprios (que muitos não têm em abundância). A lógica dos grupos também não ajuda, a autoria é uma questão individual o que implica muitas vezes uma solidão criativa e não só.