24.3.10

CARTAS DO JAPÃO IV - GASTRONOMIA

[textos e imagens de Rita Botelho]

A comida japonesa e a forma como é confeccionada e apresentada é muito peculiar e diversificada. Nestas imagens mostro quatro situações distintas.

No Japão, os menus são quase sempre apresentados nas montras com modelos à escala real feitos em plástico ou cera. Esta é talvez uma forma rápida e eficaz de cativar o cliente e de comunicar de forma universal o menu. Confesso que é uma ideia brilhante, pois são raros os menus traduzidos no Japão e é um pecado viajar no Japão e não saber o que poder comer nos várias restaurantes. Os modelos de plástico nas montras podem também ter o efeito contrário quando os donos dos restaurantes se esquecem de limpar o pó aos noodles e ao sushi.

Em Portugal as provas de vinho são comuns mas no Japão são as provas de sake que têm mais popularidade. A fotografia foi tirada num estabelecimento da especialidade em Fushimi (zona a sul de Kyoto conhecida pela produção de sake) onde existem centenas de variedades de sake. Cada prova inclui três tipos de sake que são acompanhados com um cubo de tofu fresco e pickles de Kyoto.

Restaurante típico japonês em que o cliente se senta ao balcão de madeira e o chefe prepara os pratos à vista. É uma experiência fantástica observar a habilidade de um chefe japonês a manusear as facas e a velocidade e perícia como trata o peixe fresco. Há pratos que quase saem directamente do aquário para a mesa... mais fresco não há.

Fotografia tirada em Kurama, a norte de Kyoto, uma zona especialmente popular durante o Verão pela natureza luxuriante e o rio refrescante. Ao longo do rio, vários restaurantes montam plataformas de madeira onde os clientes podem comer ao som da água fresca a correr. Passar uma tarde quente de Verão num destes restaurantes é uma experiência única.

Observação: foram publicadas outras Cartas do Japão, com textos e imagens de Rita Botelho, nos dias 23 de Fevereiro, 6 e 14 de Março de 2010. Do novo, os meus agradecimentos por ela ter permitido que publicasse no blogue as suas impressões daquele país.

Sem comentários: